Teoria do Design 2

Profª Fabiane Lima
fabianelim@gmail.com

Universidade Tecnológica Federal do Paraná — 2017

Atividade

Pensando o futuro

Alguns dados sobre 2050

O Mundo nos anos 2060

Pense em como será o mundo daqui cinquenta anos. Imagine como você estará nessa época, e como estará o mundo ao seu redor. Especule com seus colegas a respeito da atividade projetual de Design, e crie produtos para esse futuro próximo.

Design Pop

Contexto

  • Otimismo pós-guerra: bom momento da economia americana.
  • Inovações: novos materiais, miniaturização dos componentes, comunicação.
  • Sociedade de consumo: exaltação da juventude, cultura e eventos populares.

A cultura hedonista, a introdução da pílula anticoncepcional e a liberdade como discurso estratégico para a promoção do consumo foram determinantes para uma grande mudança nos valores comuns. Essas mudanças tiveram impacto direto no design.

Corrida espacial

  • Primeiro ser humano no espaço: Yuri Gagárin [1961]
  • Chegada dos humanos à Lua: Neil Armstrong e Buzz Aldrin [1969]

Audrey Hepburn

Pierre Cardin

Andres Courrèges

Star Trek

2001: Uma Odisséia no Espaço

Movimentos sociais

É nessa época em que muitos movimentos sociais (re)floresceram: movimentos feminista, negro, estudantil, pacifista, LGBT...


Audre Lorde [1934-1992]

Arte Pop

A arte pop absorvia em sua estética a linguagem visual dos objetos produzidos em série: bandas, embalagens, publicidade, histórias em quadrinhos.


Andy Wahrol

Andy Wahrol

As embalagens de produtos poderiam converter-se em estampas ou obras de arte; figuras femininas poderiam converter-se em esculturas funcionais, transitando entre a obra de arte e o mobiliário, como os trabalhos polêmicos de Allen Jones.


Allen Jones

A linguagem gráfica das histórias em quadrinhos poderia ser transposta para telas e outras obras de arte, como na obra de Roy Lichtenstein.


"Whaam" — Roy Lichtenstein [1963]

Richard Hamilton trouxe os aparelhos da Braun para suas obras, apropriando-se de forma irônica dos ícones do racionalismo moderno.


"Still Life" — Richard Hamilton

"O que torna os lares de hoje tão diferentes, tão atraentes?" — Richard Hamilton [1956]

Design Pop

O design gráfico recebeu fortes influências do contexto sócio-cultural que se desenrolava em fins dos anos 1960. O clima de revolta popular, rebeldia e informalidade compôs o cenário para o surgimento de uma linguagem gráfica que incorporava a liberdade compositiva.


"Love Rising" — Robert Indiana [1968]

Revista "Punch" [1969]

Revista "Punch" [1966]

"Atelier Populaire" — Paris [1968]

Mobiliário e interiores

O design pop caracteriza-se pela adoção dos plásticos para materializar formas orgânicas, curvas e pela facilidade de fabricação. Incorpora ironia, leveza, diversão: novas propostas questionando usos de móveis e espaços.


"Bubble Chair" — Eero Aarnio [1968]

"Panton Chair" — Verner Panton [1960]

"Visiona II" — Verner Panton [1970]

"Visiona II" — Verner Panton [1970]

"Tube Chair" — Joe Colombo [1969]

Psicodelia e Op Art

A inspiração psicodélica também influenciou a criação de capas de discos, pôsteres e cartazes, que em alguns casos eram quase ilegíveis. Os ídolos da música converteram-se em ícones do design pop. A imagem de Bob Dylan, feita por Milton Glaser em 1966, transformou-se em símbolo do cantor.


"Bob Dylan" — Milton Glaser [1966]

O design pop adotou formas orgânicas e curvas. As curvas e a sinuosidade da Art Nouveau foram reinterpretadas pelos designers e artistas pop, que combinavam cores vibrantes, como o vermelho, o amarelo e o roxo.


"Bonnie MacLean" — Wes Wilson [1966]

"Mr Tambourine Man" — Martin Sharp [1967]

Op Art

Uso de ilusões ópticas e percepção do olhar em construções de cores, contrastes e formas.


"Blaze 1" — Bridget Riley [1962]

Bridget Riley

"International Wool Secretariat" — Francesco Seraglia [1965-66]

"Vogue" — [1965]

Referência

  • GARNER, Philippe. Sixties design. Taschen, 2001.
  • HOLLIS, Richard. Design gráfico: uma história concisa. São Paulo: Martins Fontes, 2001.